Controlo Profissional de Pragas, de baratas, pragas de ratos

 
 
 

Controlo Profissional pragas de baratas, desbaratizações

Os entomologistas estimam que existam entre 5 a 10 milhões de espécies de insectos na Terra. Se perguntarmos quais insectos as pessoas odeiam mais, não teriam problema em escolher apenas um: a barata.

Existem várias razões para não gostar de baratas: seus corpos achatados, asas duras, pernas que se movimentam rápido e longas antenas que balançam. Como as baratas comem lixo e restos, elas podem espalhar bactérias como a salmonela e a shigella de um lugar para o outro. Quando elas andam, deixam rastros de fezes, que utilizam para encontrar o caminho de volta. Além de serem espessos, esses rastros podem causar manchas e odores. As proteínas na saliva e nos restos da barata também podem causar alergias e agravar a asma.

As pessoas também odeiam baratas porque pode ser extremamente difícil acabar com elas. Uma razão é seu comportamento natural. Elas se reproduzem rapidamente e são difíceis de matar. Como elas são nocturnas, muitas pessoas não percebem sua presença até que sejam tantas que acabaram sem lugares para se esconder. As baratas são particularmente boas para se esquivar e fugir de sapatos, jornais e outras armas, e várias espécies se tornaram resistentes aos insecticidas.

 
 
 
 
 

Controlo profissional de pragas de ratos, desratizações

Metodologia do serviço: Inspecção, identificação, aplicação, medidas preventivas:

Os ratos por serem muito ágeis, ariscos e cautelosos, conseguem se esconder com facilidade e nem sempre é possível visualizá-los. Entretanto, deixam pistas de sua infestação através de restos de alimentos, sacos de comida rasgados e fézes. Conhecer biologicamente os seus hábitos e caracteristicas das espécies de ratos é muito importante, ajuda a escolha correcta dos métodos mais apropriados de prevenção e controlo.

Desratização com processo de rodenticidas especificos,estações de tratamentos, sendo estas numeradas e identificadas por ordem, e outras técnicas apresentadas no local.
Tratamento realizado sem interrepecção da actividade.
 
Recomendação importante:
Em casos de infestação nunca devem ser utilizados produtos sem a orientação de uma empresa especializada em desratização, sob risco de agravar ainda mais o problema e, em casos mais graves, trazer sérios prejuízos à saúde humana e até mesmo provocar a morte de animais domésticos que habitem o local. Convém lembrar também que o manejo integrado a higiene local e cuidados de não deixar restos de comida em locais desprotegidos, dificulta a procriação do rato.

Procriação do Musculus, conhecido por ratinho:
4 a 16 crias por ninhada; 7 a 8 ninhadas por ano.

Período de gestação de cerca de 3 semanas.
8 a 12 semanas do nascimento à maturidade sexual.

Procriação do Rattus Rattus, mais conhecido por rato negro:
5 – 10 crias por ninhada; 3 – 6 ninhadas por ano.

Período de gestação de cerca de 3 semanas.
12 - 16 semanas do nascimento à maturidade sexual.

Procriação do Rattus novegicus, mais conhecido por ratazana:
7 a 8 crias por ninhada; 3 a 6 ninhadas por ano.

Período de gestação de cerca de 3 semanas.
10 -12 semanas do nascimento à maturidade sexual.

 

Como os ratos percebem o mundo

 
Os órgãos dos sentidos são, geralmente, bem desenvolvidos nos ratos, com exceção dos órgãos visuais.

Visão: Os ratos em geral enxergam muito mal. Eles não conseguem perceber as cores, mas apenas variações de claro e escuro.

Olfato: O sentido do olfato, geralmente, é bastante desenvolvido nos ratos

Paladar:Assim como o olfato, o sentido do paladar é bastante desenvolvido nestes animais, principalmente nas ratazanas.

Audição: A audição dos ratos é muito sensível. Graças a ela, os ratos conseguem detectar e escapar do perigo com muita antecedência. A amplitude de audição destes animais vai desde freqüências muito baixas até o ultra-som. É um verdadeiro radar! No caso do ultra-som, a freqüência é tão alta que se torna impossível de ouvir para ouvidos humanos.
 
Tato: Apesar de apresentarem vários sentidos muito desenvolvidos, o tato parece ser o sentido mais desenvolvido dos ratos.

As longas vibrissas (conhecidas por nós popularmente como bigodes), localizadas próximas ao focinho, e os chamados pêlos sensoriais – pêlos mais longos que os pêlos comuns e que estão espalhados ao longo de todo o corpo do animal – se comportam como verdadeiras antenas. Estes bigodes e pêlos sensoriais permitem ao rato movimentar-se com desenvoltura e agilidade em ambientes completamente escuros, caminhando junto às paredes e também dentro de seus túneis subterrâneos.